Publicidade
Opinião

O Afeganistão

Por Marcio Lüders
Publicado em: 09.09.2021 às 23:02

Podem existir as mais diversas teorias para justificar os motivos pelos quais o ser humano se vale da força para atingir seus objetivos: sejam elas políticas, religiosas, econômicas, territoriais. Mas é brutal o que vemos no Afeganistão. Não é razoável ver homens que dizem defender uma religião fazerem isso com fuzis e metralhadoras e, pior, trazendo sua interpretação dos textos religiosos como forma de dominação. O povo afegão sofre há anos com invasões e dominações estrangeiras, é verdade, e também não teve força suficiente para em 20 anos organizar um governo democrático. Talvez não por culpa sua, pois falta uma identidade nacional que foi quebrada pelas mais diversas ocupações de países estrangeiros.

Triste é que estamos em 2021 e ainda vemos coisas desse tipo acontecendo. Por tudo que vemos, todos os dias, percebemos que o animal humano ainda não aprendeu a viver em sociedade. Alguns vivem na época das cavernas, tentando impor sua vontade à força. Será que evoluímos mesmo? A história sempre se repete e, toda tomada pela força um dia tem um fim. Foi assim com a União Soviética, já foi assim no Afeganistão e em tantos outros países. O dia chega em que esses regimes têm um fim e o povo não aceitará ser governado à força para sempre. Deixo aqui uma reflexão: dominar pela força, com as ideias de apenas um grupo ideológico, étnico ou religioso é o caminho? Em momentos de polarização política e de muito ódio no coração, mais do que nunca, o que acontece no Afeganistão serve de reflexão para todos nós. O melhor caminho sempre é o da construção e o da liberdade.


O artigo publicado neste espaço é opinião pessoal e de inteira responsabilidade de seu autor. Por razões de clareza ou espaço poderão ser publicados resumidamente. Artigos podem ser enviados para opiniao@gruposinos.com.br
Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.