Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Rio Grande do Sul EDUCAÇÃO

Aulas presenciais passam a ser obrigatórias no RS

Reunião do Gabinete de Crise do Estado também atendeu demanda de Grêmio e Inter para jogos em Porto Alegre

Por João Linden
Publicado em: 27.10.2021 às 19:00 Última atualização: 27.10.2021 às 20:36

A decisão do Gabinete de Crise do Governo do Estado tomada na tarde desta quarta-feira (27) terminou com os modelos de aulas híbridas que estavam em funcionamento, no qual os alunos ou responsáveis poderiam optar entre ensino à distância ou presencial. Em breve, a educação terá de ser feita obrigatoriamente dentro das salas de aula do Rio Grande do Sul.

“As crianças e adolescentes não estão isolados em casa. Estão interagindo e participando da sociedade. Portanto, não adianta apenas restringir a interação deles na escola. A escola é onde muitos têm acesso à alimentação e onde o processo de aprendizagem é mais efetivo”, justificou o governador Eduardo Leite.

As saídas das escolas, como na Escola Municipal Ana Néri, podem ficar mais movimentadas com o retorno de todos os alunos
As saídas das escolas, como na Escola Municipal Ana Néri, podem ficar mais movimentadas com o retorno de todos os alunos Foto: João Linden/GES-Especial

A medida é válida para o Ensino Básico – Infantil, Fundamental e Médio – e mantém as restrições sanitárias em vigor. Não há ainda um prazo para que a decisão do Gabinete passe a valer, pois há questões sobre essa retomada que seguem precisando de respostas. Por exemplo: como as estruturas físicas das escolas comportaram todos os alunos se agora eles têm de ficar a uma distância maior um dos outros dentro da sala? Na rede estadual, a secretaria de Educação prevê revezamento diários entre os alunos para evitar as aglomerações.

Decisão

A solicitação de retorno de todos os estudantes no regime presencial foi feita pelos representantes das redes municipais e particulares no Centro de Operações e Emergência em Saúde (COE) Estadual, que conta com a presença de representantes da União Nacional dos Conselhos Municipais de Educação do RS (UNCME/RS), do Conselho Estadual de Educação (CEEd), da União dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) e do Sindicato do Ensino Privado do Rio Grande do Sul (Sinepe).

“A escola não é foco de contaminação (do Covid-19), ela reflete a condição da comunidade em que está inserida. Precisamos desse retorno pela questão pedagógica, cada dia é importante para os estudantes. Quanto mais tempo sem a escola, mais difícil é trazer os jovens de volta”, disse a secretária estadual da Educação, Raquel Teixeira.

 Torcida

A mesma reunião também determinou mudanças nos protocolos de competições esportivas, com liberação parcial das arquibancadas. A equipe de governo entendeu que é possível atender à solicitação nos estádios Beira-Rio, do Inter, e Arena, do Grêmio, em caráter experimental, nos termos solicitados pelos clubes e respeitando as especificidades destes.

O limite de 30% de ocupação dos estádios – que é o protocolo vigente para competições esportivas com mais de 2,5 mil pessoas – segue sem alteração. A autorização excepcional será informada aos dois clubes e passa a valer de forma imediata.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.