Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região Política

Alberi resiste em pedir renúncia do cargo de vereador porque quer provar inocência

Defesa do político canelense fez novo pedido de soltura à Justiça

Por Letícia de Lima
Publicado em: 14.01.2022 às 03:00 Última atualização: 14.01.2022 às 11:10

Com o afastamento cautelar do vereador Alberi Dias (MDB) encerrado no último dia 8 de janeiro, o político, que está preso desde o dia 28 de dezembro de 2021, volta a assumir de forma titular o cargo na Câmara de Vereadores de Canela. A informação foi confirmada pela assessoria de Comunicação da Casa Legislativa na manhã de quarta-feira (12).

Primeira prisão de Alberi em novembro de 2021
Primeira prisão de Alberi em novembro de 2021 Foto: Letícia de Lima/GES-Especial
Com isso, a vereadora Andresa Conceição, conhecida como Mana, que ocupava a cadeira do MDB, retorna ao posto de suplente na cidade. Em recesso, a Câmara retorna com as sessões em fevereiro, contudo, ainda não se sabe como Alberi vai participar das reuniões legislativas se permanecer recluso no Presídio Estadual de Canela.

A defesa do vereador afirma que orientou o cliente a renunciar o cargo político, no entanto, Alberi e sua família resistem à ideia. "Ele chegou a avaliar a possibilidade, mas está relutando porque sabe que o pessoal está fazendo uma certa confusão, não tem crime dele na figura de vereador. Se ele teve envolvimento no trabalho contábil é uma coisa fora da vereança dele", argumenta o advogado Ademir Costa Campana.

Pedido de liberdade

O emedebista é investigado na Operação Cáritas, da Polícia Civil, que apura crimes de corrupção em parte do poder público municipal. Ele renunciou ao cargo de presidente da Câmara no último dia do ano passado, mas não abriu mão do posto de vereador e continua recebendo salário assim como os demais parlamentares da Casa.

A defesa de Alberi Dias fez um novo pedido de reconsideração à sua soltura e diz estar confiante para que saia o deferimento da Justiça até esta sexta-feira (14). "Não houve nenhum fato, como equivocadamente a autoridade policial coloca na investigação de que ele teria dado continuidade no crime", atesta o advogado.

"Creio que ele vai ter que voltar para o convívio da sociedade. Depende de provas, tudo que a Polícia está colocando vai ter que provar, é um processo que vai tramitar por mais de dois anos", opina Campana.

Comissão de Ética só depois do recesso

A Mesa Diretora da Câmara de Canela protocolou denúncia contra os fatos que envolvem Alberi, porém, pelo regimento da Casa Legislativa, a Comissão de Ética só pode ser aberta durante as sessões ordinárias, que começam apenas no dia 7 de fevereiro. O procedimento pode levar o vereador à cassação do mandato.

Alfredo e Emilia: candidatos à presidência da Câmara

De acordo com a Câmara de Vereadores, nenhum vereador fez representação oficial lançando chapa e se candidatando à presidência até a tarde de quinta-feira (13).

Porém, a vereadora Emilia Fulcher (Republicanos), substituta de Alberi por ser a vice na antiga composição da Mesa, e o vereador Alfredo Schaffer (PSDB), confirmaram ao Jornal de Gramado que concorrerão ao cargo.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.