Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região OPERAÇÃO DA PF E RECEITA

Produtores clandestinos de cigarro jogavam lixo em propriedade rural de Sapiranga

Policiais federais fazem buscas em 10 cidades da região, entre elas Canoas, Novo Hamburgo e São Leopoldo

Publicado em: 19.10.2021 às 09:48 Última atualização: 19.10.2021 às 10:04

Produtores clandestinos de cigarro alvo de operação da Polícia Federal (PF) na manhã desta terça-feira (19) faziam o descarte dos resíduos em uma propriedade rural de Sapiranga. A área foi um dos locais onde foram realizadas buscas hoje na região.

Área rural de Sapiranga era usada por criminosos para descarte do lixo da produção clandestina de cigarros
Área rural de Sapiranga era usada por criminosos para descarte do lixo da produção clandestina de cigarros Foto: PF/Reprodução

Área rural de Sapiranga era usada por criminosos para descarte do lixo da produção clandestina de cigarros
Área rural de Sapiranga era usada por criminosos para descarte do lixo da produção clandestina de cigarros Foto: PF/Reprodução
A fábrica clandestina faturava R$ 50 milhões por mês e, segundo a PF, a estimativa é de que a produção mensal era de 10 milhões de maços.

Ao todo, 25 municípios do RS, Paraná e São Paulo tiveram mandados judiciais cumpridos pelos policiais federais.

Na região, as buscas e mandados de prisão preventiva e temporária foram em 10 cidades.

Canoas 

Mandado de prisão preventiva - 5
Mandado de prisão temporária - 8
Busca e apreensão - 17

Gravataí

Mandado de prisão preventiva - 2 
Busca e apreensão - 2

Novo Hamburgo

Mandado de prisão preventiva - 1
Busca e apreensão - 2

São Leopoldo 

Busca e apreensão - 2

Montenegro

Mandado de prisão temporária - 1
Busca e apreensão - 1

Sapiranga

Mandado de prisão temporária - 2
Busca e apreensão - 3

Portão

Mandado de prisão temporária - 1
Busca e apreensão - 1

Cachoeirinha

Busca e apreensão - 3

Estância Velha

Busca e apreensão - 1

Parobé

Busca e apreensão - 1

Operação Tavares

O objetivo da Operação Tavares é desarticular a organização criminosa com fábrica em Triunfo e Cachoeirinha. Apura, ainda, os crimes de trabalho escravo, contra o meio ambiente e corrupção de menores.

A operação foi denominada "Tavares" em alusão ao local onde foi identificado o primeiro depósito do grupo, no município da Cachoeirinha.

Os trabalhos contam com o apoio da Brigada Militar (BM) e tem acompanhamento do Ministério Público Federal (MPF), Ministério Público do Trabalho (MPT) e por servidores do Ministério do Trabalho e Previdência Social.

Investigação

A investigação iniciou em 2020 para apurar a prática de contrabando de cigarros na região metropolitana de Porto Alegre. Foi identificada a existência de uma organização criminosa estruturada para a produção clandestina de cigarros de marcas paraguaias em cidades do Rio Grande do Sul.

Há indícios de que a fabricação seria operada por trabalhadores supostamente cooptados no Paraguai e que seriam mantidos em condições análogas a de escravidão.

Parte dos cigarros produzidos abasteceria o mercado clandestino do Uruguai e pontos de venda no Rio Grande do Sul vinculados à facção criminosa do Estado.

Conforme projeção da Receita Federal, os impostos, se recolhidos, atingiriam 25 milhões de reais ao mês, somente em tributos federais (IPI, PIS e COFINS).

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.