Publicidade
Botão de Assistente virtual
Multimídia | Vídeos CÂNCER DE MAMA

Mãos Dadas abre programação alusiva ao Outubro Rosa

Grupo de Apoio à Superação do Câncer de Mama já iniciou atividades em Novo Hamburgo

Por Joceline Silveira
Publicado em: 04.10.2021 às 18:15 Última atualização: 05.10.2021 às 09:06

O Grupo de Apoio à Superação do Câncer de Mama - Amigas de Mãos Dadas, de Novo Hamburgo, abriu, nesta segunda-feira (4), a programação do Outubro Rosa na cidade. As atividades iniciaram com a benção do pároco da Catedral São Luiz Gonzaga, Marco Antonio Leal às integrantes, que se reuniram com sombrinhas cor-de-rosa em frente ao templo.

"O rosa é a cor símbolo do movimento. A sombrinha é a ideia de proteção. Simboliza a proteção contra o sol e a chuva, a proteção que é o objetivo do nosso trabalho", disse Flavia Regina Trevisan, integrante do grupo desde a sua criação há 15 anos.

Voluntárias receberam bênção na Catedral São Luiz Gonzaga, em Novo Hamburgo
Voluntárias receberam bênção na Catedral São Luiz Gonzaga, em Novo Hamburgo Foto: Diego da Rosa/GES

Neste mês, a campanha nacional Outubro Rosa busca conscientizar para a prevenção ao câncer de mama, doença que, segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), é a de maior incidência no mundo.

Além de enfatizar a importância do autoexame e dos exames preventivos, as voluntárias destacam que hábitos saudáveis — como alimentação equilibrada e prática de exercícios físicos — contribuem para a qualidade de vida e a prevenção da doença. A orientação do Ministério da Saúde é de que todas as mulheres a partir dos 55 anos façam a mamografia a cada dois anos.

"Enquanto os olhos do mundo ainda seguem voltados para o combate ao coronavírus, em 2021, o Outubro Rosa ganha ainda mais relevância no reforço da mensagem sobre a importância do diagnóstico do câncer em fase inicial, assim como a sua prevenção", argumenta Flavia, destacando que mesmo em tempos de Covid-19 devem ser lembrados como as melhores 'armas' de combate à doença.

Dentro das atividades de conscientização está programada para o dia 28 de outubro uma minicaminhada na Praça do Imigrante. "Serão respeitados todos os protocolos sanitários", informou a organização.

União que faz a força

O tratamento oncológico é longo e pode envolver quimioterapia, mastectomia e radioterapia. Procedimentos médicos que provocam desgastes físicos e emocionais. E é quando as formas do corpo mudam e os cabelos caem que muitas mulheres com câncer de mama se sentem desmotivadas para enfrentar a doença.

"Neste momento o suporte emocional é crucial, a luta é compartilhada, a experiência de quem já viveu aquilo que você vai passar é um impulso para seguir lutando", define Eliane Campos, 61 anos. Ela chegou ao grupo há cinco meses, após receber o diagnóstico de câncer de mama.

Suporte que também foi destacado pela empresária Lisete Tomaz Ferreira, de 64 anos. "Saber que você não está sozinha foi fundamental. Vim só para conhecer o grupo e não saí mais", comenta.

O grupo de voluntárias Amigas de Mãos Dadas possui mais de 200 mulheres cadastradas em atendimento que é multidisciplinar e focado no bem-estar de pacientes diagnosticadas com câncer de mama.

Como participar

Quem tiver interesse em participar do grupo pode comparecer às reuniões semanais, às segundas-feiras, a partir das 13h30, no salão da Catedral. Telefone para contato: (51) 99752-2254.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.